segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Comportamentos de Risco

No dia 24 de janeiro foi realizada a formação Comportamentos de Risco, inserida na formação acreditada 'Contributos para o Sucesso Educativo - II'. 



Nesta formação foram abordados os principais comportamentos de risco observados na infância/adolescência e respetivo impacto na saúde mental da criança/jovem. Foram, ainda, identificados os sinais a que devemos estar alerta para sinalização de uma situação para os serviços de saúde.

Formação sobre Nutrição

No âmbito do projeto 'Os Pais com a Escola' e em colaboração com a Biblioteca foi levada a cabo uma formação, orientada pela nutricionista Paula Grenha sobre alimentação saudável.

Adotando as novas teorias, que preconizam que não é na proibição de comportamentos menos saudáveis que estes se inibem, optou-se por uma abordagem na qual se pretende transformar um comportamento nutricional pouco saudável num mais saudável, através da discussão das vantagens/alternativas ao mesmo.

Assim, foram cedidas algumas receitas para que os pais possam transformar alimentação de elevado índice calórico (associadas, por exemplo, às fast-food, como hamburgers, batatas-fritas, pizzas) em 'pecados' de menor índice calórico e a um preço mais reduzido.

Aqui vão algumas das dicas fornecidas nesta formação:






Terapia Ocupacional - formação

No dia 21 de janeiro foi realizada a formação Terapia Ocupacional (TO), inserida na formação acreditada 'Contributos para o Sucesso Educativo - II'. 

Nesta formação foram abordados os conceitos subjacentes à TO, bem como os sinais identificativos de necessidade de usufruir desta terapia. Foram, ainda, discutidos alguns casos práticos de alunos da escola de modo a que os docentes pudessem aplicar estratégias mais adequadas às suas necessidades.

Na formação foi apresentado o seguinte vídeo que faz uma explicação aprofundada deste tipo de Terapia:










 

Stressless II

Caros colegas, envio a segunda parte da formação Stressless. 

A entrega das respostas fica agendada para dia 20 de fevereiro. Podem enviar por e-mail, caso considerem as vossas respostas como privadas. É garantida a confidencialidade das vossas respostas por parte da formadora.

Tarefa 1
Solicita-se que descrevam o contexto ideal de trabalho sinalizando 7 ideias que consideram fundamentais para que a profissão docente pudesse ser levada a cabo com índices de stress mais baixos ou inexistentes. 

*Dica - Para a realização desta tarefa, podem recorrer a algumas ideias sinalizadas na última tarefa realizada da sessão de 22/1, na qual foram identificados os pontos positivos da profissão docente e os pontos menos positivos (perigos psicossociais).



Documento de leitura importante para realização da Tarefa 2






Tarefa 2
Para esta tarefa, os formandos terão de pensar em cinco perigos psicossociais que existiram na sua profissão e que foram combatidos, ou no Agrupamento onde estão, ou em outros Agrupamentos onde estiveram, ou ao nível do Ministério. É sugerido o recurso a uma tabela de quatro colunas, que terá em conta quatro itens:

  • Perigo psicossocial que foi combatido - podem recorrer aos perigos identificados na sessão de 22/1, aos exemplos dados no documento anexo, bem como a outros que se lembrem
  • Natureza do perigo - se era prevenível, modificável ou inalterável
  • Estratégias - identificar a estratégia utilizada
  • Tipo de intervenção utilizada - prevenção primária, secundária ou terciária (ver documento anexo).


 Bom Trabalho!

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Planos de Desenvolvimento II


A segunda edição da sessão com o tema 'Planos de Desenvolvimento: para quê e para quem?', dinamizada pela Dra Cristina Palhares foi dirigida aos educadores e docentes do 1.º ciclo. Mais uma vez, esta formação está enquadrada na formação acreditada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua intitulada 'Contributos para o Sucesso Educativo II'.
Com o desenvolvimento deste tema pretendemos sensibilizar os docentes do agrupamento para a temática da sobredotação, debater mitos, com vista à implementação de Programas de Enriquecimento que contribuam para o desenvolvimento e estimulação emocional, social, escolar e cognitiva dos nossos alunos com mais potencialidades.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Importância do TPC no rendimento escolar: contribuição de professores, alunos e encarregados de educação

 
  Encontra-se a decorrer, nas turmas de 6.º ano do Agrupamento, um projeto de investigação, em articulação com a Universidade do Minho, que visa mapear as variáveis que melhor explicam o envolvimento de professores, alunos e pais no trabalho para casa na disciplina de matemática. Os trabalhos para casa são um tópico muito atual e controverso que envolve professores, alunos e encarregados de educação. É importante conhecer o papel de cada um destes intervenientes para podermos tirar conclusões e melhorar a prática educativa. 
     Este projeto de investigação, que envolve cerca de 100 escolas públicas e privadas, escolheu a nossa escola para colaborar.

      Equipa de investigação:
     Grupo de Investigação em Autorregulação da Aprendizagem da Escola de Psicologia da Universidade do Minho, sob coordenação do Professor Doutor Pedro Rosário (prosario@psi.uminho.pt).

      Procedimento:
     Passagem de questionários aos docentes de matemática com turmas de 6.º ano, passagem de  questionários a todos os alunos de 6.º ano e passagem de questionários aos Encarregados de educação dos referidos alunos.

     Obrigada pela colaboração! O conhecimento agradece!

Orientação Vocacional

      Foi dado inicio, no segundo periodo, às sessões de Orientaão Vocacional para os alunos de 9.º ano, turmas CEF e PIEF.

      Este ano e atendendo a que estamos num contexto de crise, foram introduzidas algumas novidades no formato do programa, nomeadamente:
  1. Sensibilização para as questões de género nas escolhas profissionais: atualmente sabemos que as raparigas optam por cursos na sua maioria pertencentes a 6 setores profissionais que, infelizmente, são os setores que enfrentam maior taxas de desemprego. Assim, os cursos que normalmente as raparigas mais escolhem estão, neste momento, com baixas taxas de empregabilidade e alguns ate estão a ser abolidos. Com este trabalho, pretendemos que os alunos e pais compreendam que as capacidades dos alunos não estão relacionadas com o facto de se ser rapaz ou rapariga e pretendemos que os alunos escolham áreas sem atender às estereotipias de género, mas sim aquilo que permite maior empregabilidade e para o qual têm mais capacidades.
  2. Sensibilização para o estudo da Matemática: atualmente é quase impossível optar por um curso/área em que a matemática não exista, pelo que os alunos não devem desistir da mesma.
  3. Reflexão sobre os cursos com maiores níveis de empregabilidade e sensibilização para a necessidade de realizar intercâmbio com outros países, para maior enriquecimento do currículo.
  4. Discussão de dilemas e crenças associados à orientação vocacional;
  5. Sensibilização para a opção de determinadas áreas profissionais como hobby;
  6. Reflexão sobre empreendedorismo
  7. Treino de preparação para as entrevistas e para os testes psicotécnicos.

     A Orientação inicia-se com os grupos já a partir de dia  14/1/2013, tendo sido realizada uma reunião prévia com os pais e encarregados de educação no dia 11 de janeiro, na qual estiveram, infelizmente, apenas representadas as turmas de 9.º ano por um máximo de 5 E.E. por turma.




A CIF e a Educação Especial

     Durante a interrupção letiva do Natal os docentes do Agrupamento usufruiram de uma formação, dada pela Dra Cristina Palhares, sobre a CIF e a Educação Especial, com a duração de 4 horas. Esta formação está enquadrada na formação acreditada: 'Contributos para o Sucesso Educativo II'.

     Nesta formação foram discutidas importantes questões acerca da aplicabilidade da legislação em vigor e discutidos casos práticos.


Formação Stressless: Educadores Resilientes, Educandos Resilientes

     A formação acreditada, com o nome Formação Stressless: Educadores Resilientes, Educandos Resilientes iniciou a 8 de janeiro de 2013 para 11 professores inscritos.

     Tal como prometido, são disponibilizados os materiais referentes às datas de 16 e 17 de janeiro, bem como as propostas de trabalho. As respostas deverão ser dadas através do comentário ao post e devidamente identificadas até ao dia 30 de janeiro.

     Bom Trabalho!


MATERIAIS


Texto1: Responsabilidades do empregador na prevenção do stress relacionado com o trabalho




Texto2: Acordo-Quadro Europeu sobre o Stress no Trabalho, a sua implementação em diferentes países e a sua relevância para o setor da educação

Texto 3: Princípios da gestão de riscos psicossociais

https://docs.google.com/document/d/1p6o8qpK_4KSgVL0mUdTe9g8i6B4X0fHyZwK_HYM_qPg/edit


Tarefa1:

Dar um exemplo, para cada uma das seguintes categorias, de uma situação em que pode ser experienciado stress relacionado com o trabalho, recorrendo ou não a experiências pessoais; bem como um possível efeito dessa situação:
  • Relações mantidas com os colegas de trabalho;
  • Relações mantidas com os superiores;
  • Compromisso com a instituição refletido no desempenho no trabalho;
  • Motivação;
  • Equilibrio entre vida profissional e pessoal;
  • Moral e ética;
  • Satisfação com o trabalho;
  • Assiduidade.